sábado, 31 de dezembro de 2011

Formatação de Monografias, artigos, revisão de Redação e Língua Portuguesa

Preço à combinar...
Tel: 99092967 - 92730676

Como devo comer?

Resumo dos Artigos:


"COMIDA DEMAIS"
"SATISFAÇÃO MENOR, OBESIDADE MAIOR"
"INSULINA E GLICOSE BEM REGULADAS"
GUIA FITNESS


O que contribui para a epidemia de obesidade: a ingestão excessiva de alimentos ou o sedentarismo? 

Se o aumento de peso real mostrasse o que a estimativa apontada, implicaria que a ingestão de alimentos era responsável. Se isso não ocorresse, significaria que mudanças na atividade física também tiveram papel importante.

A quantidade de calorias ingeridas tem influência à gestão de peso, e para que seja bem sucedida, devem fazer boas escolhas mantendo um plano equilibrado de alimentação saudável e um estilo de vida ativo.

Se precisar perder peso, tem de inverter a situação e alcançar um balanço energético negativo. Basicamente isto significa ingerir menos calorias e deslocar-se mais. Certamente esta receita não é nenhuma novidade, mas o incrível é como não é posto em prática, enquanto se bombardeiam com tantos regimes para perder peso.

Fazer exercícios físicos com regularidade e evitar o consumo excessivo de carnes vermelhas gordurosas ajuda a prevenir a obesidade e o diabetes, mas as explicações sobre por que essas recomendações funcionam permaneciam superficiais. Agora finalmente começa a entender por quê a atividade física protege a região do cérebro que regula o apetite, justamente a que é atacada pelas gorduras saturadas.

Ao saborear um chocolate, o cérebro responde de maneira diferente, dependendo da pessoa. E é essa diferença, cortesia dos genes receptores de dopamina, que pode ajudar a explicar por que alguns engordam e outros não.

O efeito benéfico do exercício é similar ao gerado pelo consumo de outro tipo de gordura, as insaturadas da família ômega-3, encontradas em óleos de peixe. Emerge daí novas possibilidades de deter a obesidade e o diabetes, em especial o do tipo dois, quando o organismo produz insulina, mas não a utiliza adequadamente.

No cérebro, o estriado dorsal é responsável pela liberação do neurotransmissor dopamina resposta à ingestão de comida. A quantidade de dopamina liberada corresponde ao grau de satisfação que o alimento traz. Mas em indivíduos obesos, essa resposta tende a ser mais lenta, devido à presença de menos receptores de dopamina.

O consumo excessivo de gorduras saturadas de cadeia longa pode gerar uma inflamação nos neurônios de uma região na base do cérebro, o hipotálamo, que controlam a fome. A inflamação impede o correto funcionamento do hormônio insulina, que facilita a captação de glicose nas células. Os neurônios do hipotálamo perdem a capacidade de se ligar à insulina – fenômeno conhecido como resistência à insulina, comum em pessoas obesas ou diabéticas – e a fome predomina sobre a saciedade. Praticar exercícios físicos, além de queimar calorias, como já se sabia, ajuda a reduzir a inflamação nos neurônios do hipotálamo e a restabelecer a saciedade.

Gorduras (in)saturadas podem ter efeitos opostos, sobre as células musculares. O excesso de dois tipos de ácido graxo saturado, o palmítico e o esteárico, prejudicaram o funcionamento de células musculares cultivadas em laboratório e dificultaram a ação da insulina, enquanto os ácidos oléico, linoléico, EPA e DHA, todos insaturados, não alteraram o funcionamento das células e deixaram a insulina agir normalmente. Os ácidos graxos insaturados ômega-3 previnem a resistência à insulina induzida pelos saturados.

POTÊNCIA DA BOMBA CENTRÍFUGA


“O perfeito funcionamento de uma motobomba injetora depende fundamentalmente da correta instalação e vedação dos canos de sucção e retorno, que devem ser de rosca. Esta pesquisa permitiu apresentar os tipos de bombas centrifugas que há o que tornar-se importante na decisão técnica a ser tomada pelos profissionais durante o projeto de determinação de bomba a ser utilizada, alcançando o objetivo inicial do projeto. Deve introduzir as tubulações no poço depois de ter certeza que as emendas estão bem vedadas, evitando a entrada de ar e vazamentos. A motobomba não deve ser utilizada para a limpeza do poço na retirada de areia. Isto pode causar avarias e a perda da garantia. A distância da bomba injetora à boca do poço não deve ultrapassar 4 metros, devendo ser fixada em base rígida e levemente inclinada no sentido da sucção. O injetor deve ser instalado no mínimo 30 cm acima do fundo do poço, para evitar entrada e sólidos e entupimento do sistema. O que se recomenda é colocar uma camada de, no mínimo, cinco centímetros de altura de brita no fundo do poço. Antes de ligar a bomba injetora, deve ser preenchida as tubulações de sucção, de retorno e o corpo com água, a fim de eliminar todo o ar. Quando terminar de preencher, deve esperar um pouco e observe se a água permanece no mesmo nível. Se o nível baixar é porque existe vazamento e este deverá ser contido. Se não há vazamentos, conecte a tubulação de recalque e feche completamente o registro de regulagem. O registro de regulagem possui dois lados arredondados e duas faces lisas. Com o registro todo fechado ligue o motor e observe que o ponteiro do manômetro desloca-se na direção dos sessenta mca. Não precisa necessariamente chegar ao limite, de acordo com a cada líquido a ser bombeado é preciso calcular todas as perdas para que se possa definir a bomba a ser utilizada e a potencia da bomba pra que não haja desperdício. Então, abra lentamente o registro de regulagem sempre acompanhando o ponteiro do manômetro que agora vai se deslocando na direção do zero. Esse deslocamento acontece de forma gradativa até um determinado ponto quando escorrega bruscamente para o zero. É preciso marcar este ponto, voltar fechando o registro por completo e em seguida abri-lo outra vez até um pouco antes do ponto marcado. Este é o ponto ideal de trabalho. Caso a vazão do poço seja inferior a vazão da bomba, feche um pouco mais o registro para evitar que o nível da água desça até o injetor. Esses resultados foram obtidos através de um experimento para determinar a potência de uma bomba centrífuga a partir da vazão volumétrica e das perdas de cargas na linha de sucção e de recalque de um sistema hidráulico, com 3 linhas, constituído de um tanque de água, tubulações e acessório. E comparar cada resultado com suas respectivas curvas de caracteristicas e comparalas entre si. Não obstante, observa-se que cada respectiva linha foi obtida uma potência de bomba centrifuga resultante pela trajetória de cada linha e de suas perdas, os experimentos foram feitos com a finalidade de denominar a potencia da bomba para cada linha para que haja eficácia no bombeamento do líquido. Lembre-se sempre que as vazões indicadas em catálogos para as bombas injetoras, somente serão plenamente obtidas quando as mesmas estiverem corretamente instaladas elétrica e hidraulicamente. A submergência mínima para evitar entradas de ar pelo injetor é de 2 metros”.

Conclusão sobre "Pré Sal"

Linha do Tempo
Disponível em: http://www.petrobras.com.br/minisite/memoria/presal/. Acesso em: 22 nov. 2011




“A descoberta das jazidas do pré-sal é, um novo marco histórico para o país, que tem a possibilidade de tornar-se um grande exportador de petróleo em médio prazo. O termo “pré-sal” passou de expressão insólita a objeto de contagiante entusiasmo. O que antes era um assunto de técnicos foi alçado a tema central na imprensa brasileira. A imagem que se transmite é a de uma riqueza natural cujo bom aproveitamento é capaz de moldar o avanço econômico e social do país. O petróleo da camada de pré-sal é considerado como um recurso que pode gerar estabilidade econômica, o desenvolvimento industrial, o atendimento de demandas sociais e o acúmulo de benefícios para as gerações futuras. As reservas de petróleo encontradas na camada pré-sal do litoral brasileiro estão dentro da área marítima considerada zona econômica exclusiva do Brasil. São reservas com petróleo considerado de média a alta qualidade, segundo a escala API.  Com o início de um novo e promissor horizonte exploratório e produtivo, o setor do petróleo é importante sob qualquer ângulo que se avalie. Investimento, tributação, questão ambiental, logística ou royalties, o Brasil avança rumo aos sete quilômetros de águas profundas do pré-sal, buscando sempre uma melhoria continua. A política nacional terá o objetivo de garantir e manter a economia global no país, aproveitando o aumento das atividades da Petrobrás como indutor do crescimento da capitalização brasileira e as novas mudanças no regime de exploração e produção do pré-sal, levando a desenvolver as novas tecnologias, infra-estrutura, capital humano e recursos. Para isto é necessário então, aumentar os incentivos e aquisição de equipamentos e serviços. Com a exploração e produção do pré-sal o desenvolvimento da cadeia produtiva de petróleo e gás brasileira, abre novas perspectivas de um crescimento considerável, previsto das atividades para os próximos anos. Os investimentos que garantirão a execução de uma das consistentes carteiras de projetos da indústria do petróleo no mundo. Serão novas plataformas de produção, mais uma centena de embarcações de apoio, além da maior frota de sondas de perfuração a entrar em atividades. Quanto à extração do petróleo o Brasil deverá observar como tirar proveito dessas novas jazidas, sem nenhuma pressa, pois óleo não faltará no país, nem será difícil de extraí-lo, já que a tecnologia já esta sendo usada para tal. As consequências desta inovação serão a geração de emprego e renda, como também a ampliação e o fortalecimento do mercado consumidor interno, um passaporte para a melhoria da educação e da condição de vida de milhões de brasileiros garantindo uma expansão industrial inédita no país, com reflexos profundos em toda a cadeia tecnológica e na produção intelectual das universidades”.  

ADM/TUR Ana Roberta














Referencias Bibliográficas:

Livros

LIMA, Paulo César Ribeiro et al. Os desafios do Pré-Sal. Brasília. Centro de Documentação e Informação: Edições Câmara, 2009.

PINHO Claudio A. Pré-Sal: História, Doutrina e comentários às Leis. Belo Horizonte. Editora Idéia, 2011.


Documentos Eletrônicos:

Disponível em: http://www.Petrobrás.com.br/minisite/memoria/presal/. Acesso em: 22  out 2011.


Petrobrás e o Pré Sal: O desafio da sua exploração, produção e administração. Rio de Janeiro-RJ: CARBALLEDA, Emilio Meneses , Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2009. Disponível em: monografias.poli.ufrj.br/monografias/monopoli10000074.pdf.   Acesso em: 22 out. 2011

Marco legal do pré-sal prevê exploração em regime de partilha. Brasília-DF: FERNANDES, Edvaldo. Câmara dos Deputados. 2009. Disponível em: http://www2.camara.gov.br/agencia/noticias/139498.html. Acesso em: 21 nov. 2011.


Projeto cria nova regra para distribuição de royalties do petróleo. Brasília-DF: ALVES, Jaciene. Câmara dos Deputados. 2011. Disponível em: http://www2.camara.gov.br/agencia/noticias/administracao-publica/205561-projeto-cria-nova-regra-para-distribuicao-de-royalties-do-petroleo.html. Acesso em: 22 nov. 2011.


PT defende alterações em relatório do Senado sobre royalties do petróleo. Brasília-DF: Da Redação/ WS: Com informações da Liderança do PT. Câmara dos Deputados. 2011. Disponível em: http://www2.camara.gov.br/agencia/noticias/administracao-publica/205521-pt-defende-alteracoes-em-relatorio-do-senado-sobre-royalties-do-petroleo.html. Acesso em: 22 nov. 2011.

 

Licitação do campo de Libra só depende de aprovação das novas regras do setor pelo Congresso. Curitiba-PR: DOMINGOS, Bruno. Gazeta do Povo Online. 2010. Disponível em: http://www.clippingexpress.com.br/ce2//?a=noticia&nv=lkuvdQ-9EvIxOu24IoHLlw. Acesso em: 20 out. 2011.


O Petróleo no Brasil E O Pré-Sal. Disponível em: http://www.monografiaac.com.br/economia/petroleo-brasil.html. Acesso em: 20 out. 2011.

 

Normas e técnicas de pesquisa. Disponível em: http://cdcc.sc.usp.br/cda/sessao-astronomia/sessao-astronomia-padrao/referencia-bibliografica-ufrgs.htm. Acessado em: 22 nov 2011.


Disponível em: http://www.monografiaac.com.br/conclusao.html. Acesso em: 24 out. 2011.


Revistas:

Wilson Santa Rosa, Gilberto Puig. Modelo Regulatório do Pré-Sal e áreas estratégicas. Revista Petrobrás, v. 15, nº 151, pg.18-19, setembro 2009.

SERRÃO, Marcio. Oil & Gás: Journal Latino Brasileira. Revista PennWell Brasil, v. 17, nº 2, pg. 41, junho 2011.


Cartilhas:
PRÉ-SAL: Perguntas e Respostas. Brasília: Ministério de Minas e Energia, 2009.