quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

O Emocional do Consumo

No mês de dezembro é natural que comecemos a nos mobilizar para as datas festivas, porém sabemos que todos tiveram a mesma idéia de movimento e sentido. Então, fiz um teste de paciência a mim mesmo e decidi me aventurar em um sábado de manhã pelas ruas mais movimentadas da cidade. É uma mistura de sensações. Claro que dentre elas a impaciência estava predominando. No entanto respirei bem fundo para despertar o outro eu que só perscrutava a devassa psicológica. Sim, havia algo estranho e imperceptível no ar, algo chamado: pressão da sociedade de consumo. Tão poderoso nesses dias que lançam poderosos feixes de dúvida e apreensão sobre a nossa cabeça. Nesta hora, o valor das coisas assume uma forma menos abstrata e abruptamente concreta. Estranho pensar nisso, sendo que, eventos mais desprovidos de essência humana podem apresentar circunstâncias semelhantes, e que o menor dos pensamentos sobre este tipo de afirmativa pode ser algo extremamente sem sentido. As artimanhas das nossas emoções embaralham tanto as nossas idéias e nosso bom senso que ficamos sem defesas e nem controle sobre nós mesmos. Mais uma vez pode parecer estupidez mas se somos quase cegos sensorialmente o que dizer de nossos atributos em conceder a normalidade religiosa e indescritivelmente perfeita. “Se as portas da percepção se depurassem, tudo se revelaria ao homem tal qual é, infinito” já dizia William Blake "a cerca da neutralidade humana perante a obviedade da vida". Não adianta, um dia tudo chega a tona para percebermos que estamos mais impotentes agora do que há tempos atrás para o consumo que nos cerca nestes dias festivos.

Adm. Leandro Duarte

msn: leandrovampir@hotmail.com




sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

O Perdão e a Administração (Segundo a Psicologia)




Como o ato do PERDÃO pode influenciar dentro de uma organização? Como administradores e psicólogos devem observar as reações de seus stakeholders. Como doença e a psicologia podem explicar alguns comportamentos?

O perdão é um processo mental ou espiritual de cessar o sentimento de ressentimento ou raiva contra outra pessoa ou contra si mesmo, decorrente de uma ofensa percebida, diferenças, erros ou fracassos, ou cessar a exigência de castigo ou restituição. O perdão é o esquecimento completo e absoluto das ofensas, vem do coração, é sincero, generoso e não fere o amor próprio do ofensor. Não impõe condições humilhantes tampouco é motivado por orgulho ou ostentação. O verdadeiro perdão se reconhece pelos atos e não pelas palavras.

Segundo a psicóloga americana Louise L. Hay, todas as doenças que temos são criadas por nós. Afirma ela, que somos 100% responsáveis por tudo de ruim que acontece no nosso organismo. Todas as doenças têm origem num estado de não-perdão. Sempre que estamos doentes, necessitamos descobrir a quem precisamos perdoar. Quando estamos empacados num certo ponto, significa que precisamos perdoar mais. Pesar, tristeza, raiva e vingança são sentimentos que vieram de um espaço onde não houve perdão. Perdoar dissolve o ressentimento. No caso de crianças, devemos observar os pais; ou até mesmo elas, dependendo da situação.

O perdão é a cura do câncer! O câncer nada mais é que sua própria magoa reprimida. 


A seguir, você vai conhecer a síntese de uma pesquisa, elaboradas pela psicóloga Louse. A ação de algumas doenças e suas prováveis causas. Reflita, vale a pena tentar evitá-las:


Doenças & Causas:


AMIDALITE: Emoções reprimidas, criatividade sufocada.
ANOREXIA: Ódio ao externo de si mesmo.
APENDICITE: Medo da vida. Bloqueio do fluxo do que é bom.
ARTERIOSCLEROSE: Resistência. Recusa em ver o bem.
ARTRITE: Crítica conservada por longo tempo.
ASMA: Sentimento contido, choro reprimido.
BRONQUITE: Ambiente famíliar inflamado. Gritos, discussões.
CÂNCER: Mágoa profunda, tristezas mantidas por muito tempo.
COLESTEROL: Medo de aceitar a alegria.
DERRAME: Resistência. Rejeição à vida.
DIABETES:: Tristeza profunda.
DIARRÉIA: Medo, rejeição, fuga.
DOR DE CABEÇA: Autocrítica, falta de autovalorização.
DOR NOS JOELHOS: medo de recomeçar, medo de seguir em frente
ENXAQUECA : Raiva reprimida. Pessoa perfeccionista.
FIBROMAS: Alimentar mágoas causadas pelo parceiro (a).
FRIGIDEZ: Medo. Negação do prazer.
GASTRITE:: Incerteza profunda. Sensação de condenação.
HEMORRÓIDAS: Medo de prazos determinados. Raiva do passado.
HEPATITE: Raiva, ódio. Resistência a mudanças.
INSÔNIA: Medo, culpa.
LABIRINTITE: Medo de não estar no controle.
MENINGITE: Tumulto interior. Falta de apoio.
NÓDULOS: Ressentimento, frustração. Ego ferido.
PELE (ACNE): Individualidade ameaçada. Não aceitar a si mesmo.
PNEUMONIA: Desespero. Cansaço da vida.
PRESSÃO ALTA: Problema emocional duradouro não resolvido.
PRESSÃO BAIXA: Falta de amor quando criança. Derrotismo.
PRISÃO DE VENTRE: Preso ao passado. Medo de não ter dinheiro suficiente.
PULMÕES: Medo de absorver a vida.
QUISTOS: Alimentar mágoa. Falsa evolução.
RESFRIADOS: Confusão mental, desordem, mágoas..
REUMATISMO: Sentir-se vitima. Falta de amor. Amargura.
RINITE ALÉRGICA: Congestão emocional. Culpa, crença em perseguição.
RINS: medo da crítica, do fracasso, desapontamento.
SINUSITE: Irritação com pessoa próxima.
TIREÓIDE: Humilhação.
TUMORES: Alimentar mágoas. Acumular remorsos.
ÚLCERAS: Medo. Crença de não ser bom o bastante.
VARIZES:: Desencorajamento. Sentir-se sobrecarregado.


Um tanto Curioso, não?

Segundo a autora é preciso tomar cuidado com os sentimentos...Principalmente, daqueles que escondemos de nós mesmo. E também de nossos colegas, amigos e familiares!

'Quem esconde os sentimentos, retarda o crescimento da Alma'.



Adm. Ana Roberta
Msn: adm.anaroberta@hotmail.com

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Qualidade Total

Lembre-se você não é invenção e sim uma grande caixa de idéias e conhecimento.

Anônimo

Tendo por referência a busca pelo defeito zero. A gestão pela qualidade total insere-se na história gerencial, portanto, como na metodologia apoiada na certeza de que somente as organizações capazes de oferecer um diferencial metódico e criterioso para que empresas, serviços e produtos sobreviveriam no mercado e existam maior índice de aprovação entre os stakeholder. Qualidade é um conceito complexo, porque significa diferentes coisas para diferentes pessoas.O que se deve de conotar é que não existe a possibilidade de saber qual dessas teorias é a melhor ou mais adequada, já que são completos e suficientes para auxiliar a implementação da Qualidade Total em empresas. Mas o fundamental é que qualquer que seja o caminho a ser trilhado tem que ter como base as políticas e filosofias da própria empresa, dentro do nível de maturidade requerido. O movimento no sentido do melhoramento da Qualidade e da implementação da melhoria contínua dos processos não vai acabar e não pode acabar. Todavia, tem sido crescentemente considerado pelas organizações como um modismo ou uma mania que começou a perder o fôlego. As companhias pararam de perseguir o modismo e estão procurando voltar às práticas negociais conceituadas, que lhes permitam competir em seus mercados. A fonte da produtividade não são os processos, mas sim as pessoas que os desempenham. Um sistema de gestão do desempenho humano bem-pensado e de alto valor coloca o foco sobre as pessoas e permite garantir que os requisitos do cliente estarão sendo satisfeitos por empregados que forem qualificados quando da sua contração, treinados adequadamente para desempenhar os serviços certos e receberem todo o apoio de que precisarem para sempre agregar valor ao seu local de trabalho. Programar uma iniciativa da Qualidade sem criar e instalar um sistema de gestão do desempenho humano é um erro que os profissionais da Qualidade não podem se permitir. Essa abordagem gera resultado tanto positivo quanto negativo, porém sempre resulta em algo. Para que isso ocorra, esta ação sempre tem uma função destinada, nada se faz sem ao menos ter objetivo firmado. Com este pensamento de melhoria em Sistema de Gestão da Qualidade toda a ação corretiva nem sempre gera um resultado único, às vezes dependendo, terá apenas um resultado de contenção ou até mesmo uma ação sem resultado. Responsável pela aplicação de todas as sete ferramentas (Fluxograma - Diagrama Ishikawa (Espinha-de-Peixe) - Folhas de Verificação - Diagrama de Pareto - Histograma Diagrama de Dispersão - Cartas de Controle) uma nova ferramenta esta sendo estudada. O ser humano, para que seja auto-suficiente para aplicar e avaliar as demais dessa nova ferramenta. É aplicada conforme sua capacidade de execução, normalmente utilizada no inicio de uma aplicação de processo e no final para avaliação do mesmo processo. Isso se justifica por que o individuo esta presente no chão de fábrica, na Gestão e em todos os setores da empresa, aplique cada dia mais esta ferramenta no seu dia a dia, isso é o que torna o processo de melhoria continua um resultado aplicado de forma eficaz. Para que haja a aplicação das ferramentas da Qualidade em sua empresa o individuo deve aplicar seu conhecimento na execução de todas as sete ferramentas da Qualidade, atribua suas aplicações em algo realmente objetivo, resultado disto é a efetividade das ações. A falta de consciência de muitas empresas e profissionais que lidam com sistemas complexos tem sido um dos maiores problemas em adotarem uma política de qualidade.

Adm. Ana Roberta

Msn: adm.anaroberta@hotmail.com